<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6722600\x26blogName\x3dThrough+the+looking+glass...\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://terceiro-testamento.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://terceiro-testamento.blogspot.com/\x26vt\x3d3846674449514003761', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
John Butler Trio - Grand National - Fire In The Sky

Links
Lado Inverso:
O meu lado de cá
Salamaleques:
Devaneios
Àgua Salgada
LissabonBerlim
Há vida em Markl
Miss Peach
Narcisicamente
Botifarras
Salvo Erro
Capitão Alvim
Perguntar Ñ Ofende
a manh'ser
Salvo Erro
Viagens Dele
Pandam!
Mushi Sushi
Director Criativo
Sweet Patrice
Meia Lua Inteira
O Convento
Exxxtravagâncias
Memento Mori:
Cineblog
Take a Break
CinemaNotebook
Brain Mixer
Mooviz
CinemaBox
Milky Way:
Dave Matthews Band
DMB Portugal
SOULTASTE
Donna Maria
XL Femme
Manuel Paulo
Sigur Rós
John Mayer
Thievery Corporation
John Butler Trio
Blue Man Group
The Others:
Improv Everywhere
The Fuselage
ALICE
Grupo de Teatro AR
segunda-feira, abril 23, 2007
Ouroboros

- Sabes onde posso comprar uma bola de berlim ?
Apanhas o 22, sais ali depois da arvore onde está pendurada a paraquedista sexy, de sotaque britanico, de las vegas. Andas mais um bocadinho e vais encontrar uma mochila. Quero que me tragas essa mochila com as coisas que nao deviam estar nesta dimensao temporal. Depois eu digo te onde é que arranjas uma bola de berlim.
- Só mais uma coisa... é desta que o médico vai bater as botas nao é ?
Acredita. Escreve o que eu te digo.
10 toes just touched the water
quarta-feira, abril 18, 2007
Estava bem disposto naquela manha. Era Verao e aquela brisa companheira de estimaçao continuava no ar. "...vontade nao me falta.", foi assim que acabei a minha exposiçao. Tinha vestido o meu melhor sorriso e aceitaram-me no momento. Estava contente. Era perfeito para as tardes e quao dificil poderia ser tirar um café ? O espaço era amplo, nao muito, o suficiente, e arejado. Faltava lá qualquer coisa. O que faltava ja eu sabia o que era. Sob a desculpa de dinamizar o local, "sim, porque as pessoas têm de se sentir confortaveis", consegui que o dono me deixasse imbutir musica naquelas quatro paredes, escoando-a ate à esplanada. A ideia partiu de um cd que um amigo tinha feito para mim. Musicas escolhidas por ele que segundo o proprio eram a sua banda sonora. "Moods for love" que agora iam mudar tambem um bocadinho da vida de quem por ali passasse. Era uma mistura tremenda: um corpo, dormente, a ressacar do almoço, o calorzinho de inicio de tarde e jazz. Eu e a Inês, a minha colega, ja tinhamos inclusivé dançado a musica 4 , juntinhos, em pleno horario laboral. A 2 tornava a ida do balcao à esplanada em algo de épico. Ela tambem estava rendida. Que complicado era resistir a esta viagem. E era assim o dia inteiro. A loirinha era especialista em tostas mistas. Nao ha nada como uma boa tosta mista e as dela tinham qualquer coisa de especial. Nao sei se era da escolha do pao, se era do queijo que ficava estaladiço nas 124 pontas de uma tosta ou se era, ate mesmo, do fiambre que vinha sempre arrastado atras do pedaço que eu acabava de trincar, caindo imediatamente em cheio, e a ferver, no meu queixo.

Francisco
5 toes just touched the water
terça-feira, abril 17, 2007
O homem estava ali ha uns minutos. Nao sei qual de nós reparou nele primeiro. Acho que fui eu. Alias, so posso ter sido eu, o ver nao era exactamente bem o teu forte. Senti um esticao no meu braço. Poucas coisas te faziam parar e muitas dessas poucas coisas odiavas como fel. Isto para dizer que eu estava a entrar por terreno perigoso. Nem estava a olhar para ti mas aposto que me fustigaste com aquele olhar invasivo que já algumas vezes me fez tremer. A tensao do teu braço arrefeceu e paraste de me oprimir a mao. Percebeste que eu nao estava nem aí. Em qualquer outro momento isso ainda te enfureceria mais, mas a tua atençao tambem se desviou de mim. O velhote estava ali ha uns minutos com o braço erguido à sua frente. Ele pediu, em silencio, e um passarinho tinha descido e pousado-lhe num dedo. Nao sei quanto tempo ficamos parados a olhar mas foi exactamente o mesmo tempo em que mais ninguem à volta compreendeu o que estava a acontecer. "Achas que consigo fazer aquilo ?" - perguntaste-me. Nao fui capaz de te responder. Nunca te ia mentir.

Francisco
1 toes just touched the water
segunda-feira, abril 16, 2007
"Estou a ter um dos piores dias da minha vida". Foi assim que ele se apresentou à minha frente. Andrajoso, encostando dois dedos em forma de arma à tempora direita. Quando nos entre-olhamos acho que ele me reconheceu. Nunca nos tinhamos visto ou ouvido mas ambos deambulavamos pelos mesmos sitios. Na altura estive para lhe dizer "Eu tambem" mas achei desnecessario por saber exactamente o que ele queria. Quando se esta muito tempo sozinho, essa solidao torna-se parte de nos. Seca-nos por dentro. Dei-lhe todo o dinheiro trocado que tinha nos bolsos. Odeio pensar que dar dinheiro figura na categoria da "ajuda". Ele precisava para comer e eu limitei-me a aceder ao seu pedido. Nem fui capaz de dizer nada. Irrita-me agora pensar que ele é que andava a pedir e no entanto estava escrito que nos iamos encontrar ali para ele me ajudar. Irrita-me porque ele me ajudou e a unica coisa que fui capaz de lhe dar foram uns miseros pences que estavam afundados nos meus bolsos. Criou-se uma especie de impasse. Eu senti que ele queria dizer qualquer coisa. Eu proprio tambem o queria. O meu comboio chegou. Peguei nas malas e afastei-me. Sabendo, de antemao, que tudo acontece por uma razao, so aí percebi o porquê de ter apanhado o comboio errado uma hora antes, à saida do aeroporto. Chamou-me e disse: "No fundo, acabamos por ser como as crianças. Se nos baterem muito ficamos a pensar que realmente fizemos alguma coisa para merecer isso. Nao te preocupes... vai ficar tudo bem"

Francisco
0 toes just touched the water
segunda-feira, abril 09, 2007
The fountain



Se estivesses tao perto. A cura do cancro à distancia de um passeio pela primeira neve. A
libertaçao da morte suspensa na respiraçao trocada entre dois labios e os poros de um pescoço cuja cortiça começa a perecer.



A arvore - fonte, ponte e fim - de vida sempre esteve ali à sua frente. No inicio, a luz era demasiado forte, cegando-o. Era o medo que o embrenhava na escuridao que o derrotava.



Darren Aronofsky cria assim uma viagem de uniao e
ntre o homem e a natureza, a vida e a morte e o homem consigo mesmo. Um filme que caminha por entre o reino dos sentidos e dos sentimentos. Um confronto com o medo de morrer resultando numa uniao cósmica entre Tomas/Tommy (Hugh Jackman) e Isabel/Izzy (Rachel Weisz). A entrega para atingir a vida eterna e o realizar do que essa entrega é. O reencontrar da aliança no sitio onde todas as almas vao para renascer.



Tal como a nebulosa, um circulo eterno e infinito.
O passado, o presente e o futuro procuram-se uns aos outros. O destino é a unidade.



"Sim, está tudo bem"
1 toes just touched the water
quarta-feira, abril 04, 2007
Era o ano descrito pelas vozes do silencio. Vozes extinguidas, vozes perdidas, vozes gastas a transformar um simbolo em muito mais. Tal como uma comunicaçao entre dimensoes paralelas, a semente que brotou na mente de um, escondeu-se no colectivo à espera de quem a colhesse. Todos tinham a noçao de que quando o sol desaparecesse poderiam estar frente a frente com o fim. O passado nao existia. Nem mesmo o tempo verbal associado a algo que o presente tinha deixado para trás se fazia ouvir. Tudo o que faziam e iniciavam era um circulo que fechava obrigatoriamente antes da chegada da noite. Ninguem queria deixar nada para depois. Esse ilustre viajante tambem tinha abalado destas paragens sem deixar nada para trás. Lugar engraçado este em que nem o futuro conseguia deixar nada para trás. As caçadas eram feitas sob o signo do sagrado. O homem moldava-se a partir do primeiro caçador, modelo perfeito existente no colectivo. A caçada era sempre a primeira. A evoluçao fez entao das suas, tornando a terra, mulher. Era esta, agora, o simbolo da nova era. O homem perdeu a sua importancia face a algo que todos sentiam antes de entenderem. As manhãs procediam-se assim. Ao abrir de uma tarde, a curiosidade, dom atribuido aos escolhidos levou-os mais longe. A caverna era escura mas murmurios ininteligiveis vibravam as duas paredes. Os amos da caverna nunca pensaram que alguem poderia encontrar os seus homens. Homens esses, agrilhoados ao chao bebendo apenas as sombras que impunham o seu ritmo de vida. Nos outros, regidos já pelo sagrado feminino, instalou-se a duvida ao encontrarem esta caverna. Até entao nunca tinham tido medo do desconhecido. Face a face com este eram obrigados a começar do zero. Reencontrarem-se consigo mesmo e reconstruirem-se em algo que é obrigatoriamente melhor. A duvida começava a golfar pelas suas veias levando consigo a inocencia que por ali se encontrava. O desconhecido passou a ficar muito mais longe relegado ao papel de vilao. Já nao viam, nem tocavam, nem cheiravam, nem ouviam como antes. O cenário nao tinha mudado, mas eles tinham. Começava assim a noite.

Francisco
0 toes just touched the water
terça-feira, abril 03, 2007
"Guybrush Threepwood? That's the most ridiculous name I've ever heard!"

Guybrush: "What do you know about lifting voodoo curses?"

Murray: "Oh *sure*. I know a lot about lifting curses. That's why I'm a disembodied talking skull, hanging on a spike, in the middle of a swamp!"

Guybrush: "You sound bitter."

Murray: "I'm sorry, it's been a rough day."


0 toes just touched the water
White rabbit
I'm an ordinary man, meat and potatoes, I live in the real world. I'm not a big believer in magic. But this place is different. It's special. The others don't want to talk about it because it scares them. But we all know it. We all feel it. Is your white rabbit a hallucination? Probably. But what if everything that happened here, happened for a reason?....

When the levee breaks...
Photobucket

Arquivos
  • 04/01/2004 - 05/01/2004
  • 06/01/2004 - 07/01/2004
  • 07/01/2004 - 08/01/2004
  • 08/01/2004 - 09/01/2004
  • 09/01/2004 - 10/01/2004
  • 10/01/2004 - 11/01/2004
  • 11/01/2004 - 12/01/2004
  • 12/01/2004 - 01/01/2005
  • 01/01/2005 - 02/01/2005
  • 02/01/2005 - 03/01/2005
  • 03/01/2005 - 04/01/2005
  • 04/01/2005 - 05/01/2005
  • 05/01/2005 - 06/01/2005
  • 06/01/2005 - 07/01/2005
  • 07/01/2005 - 08/01/2005
  • 08/01/2005 - 09/01/2005
  • 09/01/2005 - 10/01/2005
  • 10/01/2005 - 11/01/2005
  • 11/01/2005 - 12/01/2005
  • 12/01/2005 - 01/01/2006
  • 01/01/2006 - 02/01/2006
  • 02/01/2006 - 03/01/2006
  • 03/01/2006 - 04/01/2006
  • 04/01/2006 - 05/01/2006
  • 05/01/2006 - 06/01/2006
  • 06/01/2006 - 07/01/2006
  • 07/01/2006 - 08/01/2006
  • 08/01/2006 - 09/01/2006
  • 09/01/2006 - 10/01/2006
  • 10/01/2006 - 11/01/2006
  • 11/01/2006 - 12/01/2006
  • 12/01/2006 - 01/01/2007
  • 01/01/2007 - 02/01/2007
  • 02/01/2007 - 03/01/2007
  • 03/01/2007 - 04/01/2007
  • 04/01/2007 - 05/01/2007
  • 05/01/2007 - 06/01/2007
  • 06/01/2007 - 07/01/2007
  • 07/01/2007 - 08/01/2007
  • 08/01/2007 - 09/01/2007
  • 09/01/2007 - 10/01/2007
  • 10/01/2007 - 11/01/2007
  • 11/01/2007 - 12/01/2007
  • 12/01/2007 - 01/01/2008
  • 03/01/2008 - 04/01/2008
  • 04/01/2008 - 05/01/2008
  • 05/01/2008 - 06/01/2008
  • 10/01/2008 - 11/01/2008
  • 11/01/2008 - 12/01/2008
  • 12/01/2008 - 01/01/2009
  • 01/01/2009 - 02/01/2009
  • 02/01/2009 - 03/01/2009
  • 03/01/2009 - 04/01/2009
  • 09/01/2009 - 10/01/2009